Mensagem aos Catequistas da Diocese | Diocese Bragança-Miranda

Animai-vos, uns aos outros, dia após dia, enquanto ressoar esse «hoje»” (Hebreus 3, 12-13)

 

Caros catequistas, discípulos e mensageiros de Cristo,

nesta diocese de Bragança-Miranda

e para o mundo.

 

A nossa diocese, erguida neste “reino maravilhoso” (Miguel Torga), é também ela um templo suportado por quatro firmes, nobres, únicos e fecundos alicerces: o Arciprestado de Bragança, o Arciprestado de Miranda, o Arciprestado de Mirandela e o Arciprestado de Moncorvo. Quais campos férteis com a semente da fé, regados pela vossa alegria! Eis-nos hoje, e cada vez mais, unidos pelo mesmo Homem: Jesus Cristo.

É a partir dessa vossa experiência humana, no vosso contexto próprio, que Jesus quer continuar a escrever o seu sempre antigo e sempre novo texto, o Evangelho. Pretendemos, neste secretariado da Catequese, que a vossa experiência humana se converta cada vez mais em experiência cristã e assim seja testemunha da alegria, da esperança e da fé em Jesus. Escreveram os nossos Bispos: “no início do ser cristão não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com o acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, um rumo decisivo”. E nós, já nos deixamos encontrar e encantar pelo verdadeiro Cristo?

Somos hoje, pelo impulso do Espírito Santo, chamados a um novo desafio: evangelizar por Cristo, com Cristo, em Cristo. Quem me escolheu? Perguntais alguns de vós! Apenas tenho a transmitir-vos: “desde o ventre materno, Eu te escolhi” (Jer 1,5).

Quero, convosco, desafiado pela novidade do Evangelho, encontrar caminhos conjuntos para podermos cumprir, nesta igreja local, aquilo ao qual Aquele nos chamou: “ide, pois, e ensinai todas as nações; e batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28, 19). Querem maior desafio?

Antes de partirmos para a seara, para que a evangelização das pessoas seja sentida, recomendo que nos deixemos tocar ainda mais pelo dom altíssimo que é a Eucaristia, o perene sacrifício do “Mestre dos mestres” (August Cury). Nesta hora, faço minhas as palavras franciscanas “convido todo o cristão, em qualquer lugar e situação que se encontre, a renovar hoje mesmo o seu encontro pessoal com Jesus Cristo”. Sem o nosso encontro com Cristo, não nos iludamos, nunca seremos testemunhas para ninguém, podendo inclusive cair na mentira, na hipocrisia, neste levianismo que tanto afeta os irmãos nossos. Bem sei, que nestes tempos de incerteza, na margem do mistério, todos os alicerces parecem desmoronar-se, mas não será este o tempo e o espaço em que mais precisamos uns dos outros para manter viva a nossa esperança no amanhã?

Enquanto este “hoje” existir, que resposta queremos dar à pergunta de Deus: “Onde estás?” (Gn 3, 8-10)

Não esqueçamos que, cito Tolentino Mendonça, em Elogio da sede, “Não é só o homem que é mendigo de Deus. Em Jesus, Deus também se apresenta como mendigo do homem. (…) Deus espera como um mendigo (…), imóvel e silencioso, diante de qualquer um que lhe estenda um bocado de pão.” Deste modo, animados na Esperança, que só se alcança com a paz no coração, abramos as mãos para repartir a vida que nos foi oferecida.

Quando perguntei ao Sr. Bispo, D. José Cordeiro, o que queria de nós, a sua resposta foi paternalmente firme: EVANGELIZAÇÃO. É então este o nosso caminho doravante e é para evangelizar na alegria que somos chamados e enviados.

Sem mais, aguardando que em breve possamos reunir-nos todos em torno da Palavra, convido a que, fiéis e vigilantes, mas alegres e nunca sufocados, regressemos, imitando os discípulos de Emaús, como comunidade diocesana à catequese, que brota sempre do encanto da Eucaristia – dom do futuro.

Desejo que as vossas comunidades, cada um de vós e as vossas famílias continuem fascinados por Jesus Cristo.

 

Pe. Tiago Alves

Diretor do Secretariado diocesano de Catequese

------------------------

Bragança e Vinhais.

Miranda do Douro, Mogadouro e Vimioso.

Macedo de Cavaleiros e Mirandela.

Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo e Vila Flor.

Carta Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa – Catequese: A alegria do encontro com Cristo.

Papa Francisco, Exortação Apostólica A alegria do Evangelho, nº 3.

Um livro muito interessante e motivador do dominicano Timothy Radcliffe.

Tolentino Mendonça, Elogio da sede, pág. 20.

José Cordeiro, Celebrar o Dom da Graça, pág. 53.