Diocese edita livro sobre D. Frei Bartolomeu dos Mártires | Diocese Bragança-Miranda

Por ocasião dos 500 anos do nascimento de D. Frei Bartolomeu dos Mártires, a Diocese de Bragança-Miranda acaba de editar um livro sobre o Beato, da autoria de Monsenhor José de Castro.

Da obra consta ainda uma nota do bispo da Diocese, D. José Cordeiro. A organização dos textos e a nota introdutória está a cargo de Henrique Manuel Pereira, docente na Universidade Católica Portuguesa (UCP).

O Beato Bartolomeu dos Mártires foi Arcebispo de Braga, sendo, por isso, também pastor das atuais Dioceses de Viana do Castelo, uma parte de Vila Real e, ainda, do presente Arciprestado de Torre de Moncorvo da Diocese de Bragança-Miranda, que, recorde-se, pertenceu a Braga até 1881.

Aquando do seu regresso do Concílio de Trento à Arquidiocese de Braga, entrou pela vila de Freixo de Espada à Cinta em 23 de fevereiro de 1564, tendo a Diocese nordestina assinalado os 450 anos desse momento precisamente no dia 23 de fevereiro último.

D. José Cordeiro recorda que Mons. José de Castro (1886-1966) foi um “notável presbítero de Bragança-Miranda”, que deixou “um enorme legado acerca de Bartolomeu dos Mártires”.

Em nota pastoral, datada de 1 de maio de 2014, a Conferência Episcopal Portuguesa refere que “há pessoas que, pelos princípios e valores que pautaram as suas vidas, são permanentes modelos de referência de todos os tempos”.

A mesma nota refere ainda que “o Beato Bartolomeu, tendo vivido em tempos de uma enorme crise epocal, dentro e fora da Igreja, pode e deve ser visto como testemunha para acreditarmos que a evangelização e as reformas na Igreja não só são necessárias como possíveis”. “Conhecendo-o e imitando-o cada vez mais, invoquemos também a sua proteção para a Igreja e para o nosso País. E peçamos a Deus, de um modo especial, a graça da sua canonização, que o pode projetar, para além das nossas fronteiras nacionais, para aquela dimensão eclesial que, afinal, mais corresponde ao bem que Deus, por seu intermédio, fez e quer fazer pela sua Igreja”, sublinha o documento.

O livro está disponível nos serviços da Cúria diocesana.

 Secretariado das Comunicações Sociais, 07.08.2014